domingo, 10 de dezembro de 2017

Blogmas 2017: Relacionamentos e inseguranças




(Este texto foi escrito e postado via celular, então erros de gramática e formatação devem ser desconsiderados)

        Por mais cansativas que sejam essas reflexões, ultimamente não consigo evitar de escrevê - las. Amo poesias, bem como as crônicas. Mas nesses últimos dias, qualquer coisa está me levando a elas. Sejam conversas, livros, vídeos, ou até mesmo lembranças. Mas para hoje, tentarei ser breve.
        Antes do almoço, em uma conversa com minha amiga Had, estávamos debatendo sobre ciúmes de amigos. Para isso, vou tentar falar sobre a minha história com o meu melhor amigo. Elmo está em minha vida desde o início de 2013, que foi o ano no qual iniciamos o ensino médio. Não tivemos aquela identificação instantânea, muito pelo contrário. Eu o evitava ao máximo, por acreditar que seria impossível uma amizade existir entre nós. E obviamente, eu estava errada.
        Estudamos na mesma sala no ano de 2013, e na segunda metade do ano de 2015. Nos outros períodos, fazíamos o máximo para manter a frequência de contato, o que não era impossível, já que estudamos no mesmo colégio no ensino médio,  e atualmente estamos na mesma universidade. Só que nem sempre foi tão fácil, já que vivemos em sociedade com outras pessoas e imprevistos acontecem.
        Nós temos crenças e valores diferentes, mas isso nunca interferiu em nossa amizade, por sempre nos esforçarmos para tentar entender o lado do outro. Nesse último semestre, posso dizer que nos vimos cerca de uma ou duas vezes por mês. Ele gosta de ir ao bar com os amigos, enquanto eu prefiro ir à célula ou passar o dia em casa. Temos turmas diferentes, em lugares diferentes. Já estivemos em relacionamentos, passamos por crises, tivemos momentos de dúvidas, enfrentamos avalanches, caímos, beijamos o fundo do poço e estamos de pé. Somos opostos complementares em todos os sentidos. E respondendo a pergunta: Sim, eu já senti ciúmes do Elmo e da atenção que ele dá a outras pessoas, mas isso já não acontece mais.
        O que me impede de sentir ciúmes dele hoje, é  o fato de eu ter colocado na minha cabeça que pessoas vão surgir em nossas vidas, bem como percalços e discussões. Isso vai acontecer o tempo todo, e não podemos prever quem ou como. Mas eu sei que, independente de quem ou o que apareça, ele vai continuar estando ali por mim e eu por ele. Já deixamos bem claro o quanto somos importantes um para o outro, e isso basta. Como eu disse, a nossa atual frequência de contato é escassa. Não nos vemos ou nos falamos todos os dias, mas isso nunca afetou nossa amizade. 
        Posso perder o meu posto de melhor amiga? Não sei, e confesso que não me importo. Entretanto, se isso acontecer, ele vai continuar sendo especial pra mim e eu pra ele. Não se trata do que ele é para mim, da frequência de contato ou da quantidade de piadas internas, mas do espaço que temos nos corações e nas vidas um do outro. Isso também serve para você e os seus relacionamentos. Por mais que digam que o ciúme é uma forma de "demonstrar amor", eu só consigo o ver como uma "demonstração de insegurança". É normal sentir medo de perder quem você ama, mas se você sabe que este te ama e escolheu permanecer em sua vida, porque você se deixa levar por um sentimento tão ruim? Você está inseguro, e isso não mostra que o problema está na outra pessoa ou no relacionamento de vocês, mas em você e na forma como você se vê. 
        Eu sou um pouco insegura, já fui muito mais e não posso evitar continuar sendo. Só que eu confio nas pessoas que eu amo, nas qualidades que possuo e que os fizerem querer permanecer junto a mim. Você tem que tentar perceber o quão importante é a sua presença para eles. Não por egocentrismo, mas por amor próprio e auto confiança. O temor de que alguém "melhor" poderá aparecer e tomar o seu lugar é infundado, pois você é amado único único e insubstituível. Você só precisa trabalhar a forma como encara o próprio reflexo. Se duvida de mim, pergunte a eles. As pessoas amam e demonstram seus sentimentos de maneiras distintas. Nem sempre você encontrará alguém tão intenso ou reservado quanto você, mas quando o sentimento é recíproco, seja com um abraço de urso ou com um tapinha nas costas, eles sempre tentarão te lembrar do quão especial você é.

D'ANGELO, Giullia e NEVES, G. L. L.

2 comentários:

  1. Que texto amorzinho, amo seu jeito de escrever. Confesso que sou muito inseguro, é difícil trabalhar isso comigo mesmo, e acho que não o faço suficiente. Tenho muito ciúmes de umas amigas, já que não sou nadinha popular, posso contar no dedo minhas amizades. Por isso, o medo de perder é grande, mas nunca demostro isso, nem faço nada. KKK O contato também é pouco, mas conto sempre que vão estar lá. Relacionamentos são assim, bate umas dúvidas sempre.

    xoxo http://www.sextadimensao.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando se tratam de pessoas viveremos sempre com dúvidas, mas se lembre que essas pessoas amam você, querem permanecer e ninguém nunca vai poder mudar isso. Mas continue tentando trabalhar isso em você, pra que você consiga se ver da forma tão amável quanto as pessoas veem você.
      Obrigada por ter lido e por ter comentado <3

      Excluir