terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Blogmas 2017: A empatia seletiva e os problemas alheios


(Este texto foi escrito e postado via celular, então erros de gramática e formatação devem ser desconsiderados)

        Este nem deveria ser o tema de hoje, mas algumas circunstâncias me levaram a ter de escrever a respeito. Atualmente muito se fala da empatia e de como devemos cuidar uns dos outros, mas nem sempre é o que estamos fazendo. O ser humano aparenta ter a necessidade de se sentir como o conhecedor e experimentador de todas as coisas e sensações, o que ao meu ver é algo impossível. Eu não vou desenvolver e contrair todas as doenças e transtornos do mundo, mas isso não quer dizer que eu não possa me compadecer quando um amigo doente me procurar para conversar. Eu posso não ter todos os conhecimentos do universo, mas a empatia me permite entender um pouco mais do que eu poderei vivenciar ao longo de minha vida.
        Hoje parte da Internet parou e os motivos foram extremamente negativos. O cantor Sul - coreano, Jonghyun, de 27 anos e membro ativo do grupo SHINee, cometeu suicídio em seu apartamento. E também hoje, a comediante Choi Seo In faleceu devido a câncer no ovário. Situações completamente diferentes, mas que nos levam a refletir qual o grau de importância que estamos dando aos problemas e sofrimentos alheios. Eu honestamente só conheço uma música dele e não tive a oportunidade de conhecer o trabalho dela, mas isso não me impede de compadecer e respeitar a dor dos parentes, amigos e fãs. Muitas são as críticas feitas em relação ao fanatismo e diversas são as discussões sobre até onde vai a admiração saudável, só que não é sobre isso que devemos debater hoje, mas sobre como ninguém está isento de passar por problemas.
        Por mais talentosa, abastada e admirada que seja uma pessoa, isso não quer quer dizer que sua vida seja um mar de rosas. É a velha história do "dinheiro não trás felicidade". Eu assisti alguns indivíduos questionando os fãs sobre o porque da comoção, já que tanto o Jonghyun quanto a Seo In não tinham conhecimento da existência dos mesmos. Só que o que mais me incomoda nisso tudo, é que algumas pessoas parecem pensar que só devemos nos preocupar com os que nos cercam. A compaixão não deve ser seletiva, então eu não devo tentar me colocar no lugar apenas de quem eu conheço. Hoje foram eles, mas amanhã poderão ser outros. Anônimos ou conhecidos, seres humanos enfrentam dificuldades diariamente e por mais que tenhamos a consciência disso, nem todos parecem se importar o suficiente. Você não precisa parar a sua vida, mas já se perguntou o que se passa na cabeça e na vida de quem está ao seu lado?
        Entenda que por mais próximo e íntimo que você seja de alguém,  você nunca saberá de 100% do que acontece com ela. A mais sorridente das pessoas pode estar enfrentando a mais nebulosa das situações. E não se trata apenas de pessoas com transtornos como depressão ou ansiedade, mas também de qualquer outro, já que todos temos dias bons e ruins. Uma palavra amiga ou você simplesmente mostrar que se importa pode significar muita coisa. Nem sempre a pessoa pode se sentir confortável o suficiente para se abrir contigo, mas só pelo gesto de carinho, você estará mostrando a ela que a mesma não está sozinha. Procurar ajuda não é motivo de vergonha ou fraqueza, mas de coragem, por simplesmente ter forças para dizer "eu não consigo sozinho". Ninguém é de ferro, então não tenha medo de ser honesto. Assim como oferecer ajuda não é ser intrometido, mas ser humano. Ninguém sobrevive sozinho, então porque tentar viver dentro da sua bolha de conforto, sabendo que existem outros 7 bilhões de pessoas enfrentando tantos desafios quanto você? A empatia nos ajuda a crescer e amadurecer como indivíduos, já que nos dá uma pequena porcentagem do gosto de situações que não estamos enfrentando ou que talvez nunca chegaremos a enfrentar. Entretanto isso é não apenas útil como saudável, pois por mais que você leia livros ou assista documentários, você só conseguirá entender ou ao menos tentar se enfrentar ou assistir aquela situação. Nos colocarmos no lugar dos outros nos permite sermos mais humanos e reais, pois este conhecimento que você adquire hoje, pode não ajudar completamente na forma como você lida com a dificuldade do seu colega atualmente, mas pode facilitar a sua compreensão dos problemas do seu irmão no futuro.
        Só que as vezes, nós queremos poder ajudar e nem sempre conseguimos. Talvez por estarmos indispostos ou sobrecarregados. Ajudar o outro nos ajuda a entendermos mais sobre quem nós somos e sobre o que está acontecendo ao nosso redor, só que em determinados momentos você precisará parar para cuidar de si, antes de tentar ser o ombro amigo de outro alguém. Não se julgue egoísta por ter de pedir ajuda ou por precisar se distanciar para tomar um ar, pois você não é. Eu já tentei ser a super heroína que segura o mundo de todos nas costas, mas chegou em um momento no qual o meu mundo desmoronou e eu perdi completamente as forças. Neste instante eu tive de parar para ser aquela que precisava de ajuda, e isso não fez de mim menos "amiga", mas ajudou os meus amigos a entenderem algo com o qual nem todos lidavam, mas que de certa forma os enriqueceu. Como? Eles tiveram empatia por mim e pelos meus problemas. Assim que eu melhorei um pouco, voltei a oferecer apoio pois eu precisava estar me sentindo mais descansada para tentar aliviar a dor alheia. Então não esconda a sua dor para se mostrar forte ou invencível, pois nenhum ser humano é. Todos precisamos ou precisaremos de apoio, mas antes de querer ser o porto seguro de alguém, verifique se a sua âncora está bem presa, para não acabar arrastando alguém junto a você. Se eu estou mal, posso não ser a melhor das "amigas" no momento, então eu evito ser a que da conselhos. Então antes de tentar cuidar do outro, cuide de você para que todos possam ser ajudados. E isso não é egoísmo, mas maturidade.
        Outra coisa que as pessoas nem sempre sabem separar é a diferença entre ser amigo e ter amigos. Eu tenho poucos amigos mas sempre que qualquer ser humano, dentro ou fora do meu círculo de amizades precisar, eu serei amiga. Ser amigo é estar aqui para o outro quando este precisar. Eu posso não saber quem é você que está lendo este texto agora, mas se você precisar pode me procurar que eu farei o possível para ao menos tentar te entender. Eu não preciso te considerar como amigo para agir como tal, só preciso ter compaixão por você.
        Independente de quem seja a pessoa, não não a julgue sem conhecer. Transtornos não são frescura/fraqueza/desejo por atenção, ter dinheiro não te isenta de passar por dificuldades, empatia não é seletiva, não devemos nos preocupar apenas durante os meses temáticos e não precisamos esperar até que desgraças como estas aconteçam para enxergarmos o que está escancarado na nossa frente. Os dados existem, e estão disponíveis para qualquer um. E por mais que as pessoas digam, nem sempre é fácil encontrar a tal da "ajuda" ou do "ombro amigo". Não espere um amigo seu tentar tirar a própria vida para se preocupar com o suicídio, ou enfrentar um câncer para dar atenção a doença. A empatia não deveria existir apenas quando a mídia noticia algo notável, como fatalidades, séries televisivas ou jogos nocivos. Todo ser humano tem a necessidade de ser ouvido, por menores que sejam os seus problemas. Pois não cabe a mim ou a você avaliar a gravidade ou a intensidade da dor do outro, mas cabe a nós tentarmos cuidar uns dos outros, de nós mesmos e respeitarmos o momento de cada um, seja de euforia ou de luto.
        Não espere acontecer com você ou com alguém que você ama para dar importância. Por mais que nossas rotinas sejam cansativas e cada um tenha trevas e luz o suficiente dentro de si para lidar, não se isole na sua caverna da ilusão, fingindo que ninguém está precisando de ajuda. Alguém próximo ou até mesmo você pode ser este alguém, então não finja. Seja honesto consigo e humano com os outros. Não sabemos o dia de amanhã, então por mais difícil que possa ser, seja gentil. O seu sorriso e a sua compaixão podem ser a luz que vai começar a dissipar a escuridão na vida de alguém. Não vamos salvar a todos, mas uma vida que for poupada, já fará toda toda a diferença.
        Hoje o céu ganhou não apenas duas, mas muitas estrelas pelo mundo. Então antes de dormir, independente se você tem ou não uma religião, reserve alguns minutos para pensar nas pessoas que te cercam, ou até mesmo nas famílias e amigos de Jonghyun, Seo In, e em todas as outras. Pessoas enfrentam fome, sede, frio, doenças e guerras ao redor do mundo. Quando uma vida é perdida, é como se uma granada fosse atirada, pois todos ao redor são atingidos. Cada um sabe a dor que carrega dentro de si, então não feche os olhos pro sofrimento alheio. Uma oração, uma prece, reza, pensamento positivo ou apenas lembrar se do rosto de cada um, pode tocar o seu coração sobre tudo o que está acontecendo ao seu redor. Cada vida importa, seja a sua ou de qualquer outro alguém. Mesmo que ninguém esteja fazendo, escolha fazer a diferença. Não precisa muito, apenas tente ser mais humano em um mundo onde todos fingem ser de aço.


WYDLOCK, Morgana e NEVES, G. L. L.




0 comentários:

Postar um comentário