sábado, 16 de dezembro de 2017

Blogmas 2017: Coração carimbado



    Ao longo de nossas vidas, muitas pessoas cruzam nossos caminhos. Alguns vem, outros vão e talvez alguns poucos permaneçam, mas de certa forma podemos dizer que todos deixam suas marcas em nós, como carimbos em um passaporte. Mas que ao invés de mostrarem aonde fomos, descrevem quem permaneceu em nós.
    Independentemente da quantidade de amigos que temos agora, que teremos daqui a cinco meses ou daqui a um ano, é preciso entender que nós somos pessoas diferentes, com opiniões, sonhos e desejos distintos. O amor, seja romântico, platônico, fraternal ou entre amigos, vem, bate a porta, entra, permanece e, as vezes, precisa ir. Se ele o fizer, peça apenas para deixar a porta aberta, permitindo assim a chegada de outros. 
    Nem sempre poderemos controlar o ritmo das mudanças que ocorrem em nossas vidas, por isso, ao invés de se apegar a um alguém específico, se agarre ao sentimento e as coisas boas que este trouxe para a sua vida. Por mais que eu ame aqueles que estão comigo hoje, não posso impedi - los de ir, apenas posso ser grata pelo tempo que puderam permanecer.
    Amor não é sobre o tempo, mas a qualidade deste. As vezes, quando nos deparamos com um novo indivíduo, ficamos tão empolgados por fazermos um novo amigo, que nem sempre conseguimos dedicar a mesma atenção e carinho a todos os outros. É o mesmo que ocorre a uma criança que ganha um brinquedo novo. 
    Lembram - se de Toy Story? Andy tinha o Woody como seu brinquedo favorito. Andavam juntos para cima e para baixo, como dois melhores amigos. Mas depois de seu aniversário, quando ganhou Buzz Lightyear, dedicou muito tempo a este, porque estava empolgado. Mesmo sabendo da importância que tinha na vida de Andy, Woody sentiu ciumes e inveja do laço que este começou a desenvolver com Buzz. No fim do terceiro filme, ao se despedir de todos para ir para a faculdade, fica nítido o amor que o garoto tinha por seus brinquedos. Todos sempre foram importantes pra ele, tanto que no fim, ele voltou e brincou com todos juntos.
    Eu sou grata a todos que entram na vida de meus amigos para acrescentar algo de positivo. Atualmente, eu vejo meu melhor amigo de uma a duas vezes por mês. E mesmo sendo pouco se comparado ao tempo que tínhamos no passado, eu fico tão feliz por poder estar com ele que estes 10, 20 ou até 30 minutos se tornam horas ou até dias ao seu lado. Ele passa mais tempo com seus colegas de curso e eu não me incomodo nenhum pouco com isso, pois sei que o tempo que temos juntos é de qualidade, por mais escasso que seja. Eu já estive em ambos os lados dessa situação, por isso eu tento me alegrar sempre que alguém entra na vida de quem eu amo, assim como eu gostaria que meus amigos ficassem felizes por cada raiozinho de sol que ilumina o meu caminho.
    Não sabemos o que acontecerá no dia de amanhã, por isso esteja sempre aberto as mudanças  trazidas com o tempo e evite ao máximo se deixar levar por sentimentos negativos. Se brigar com alguém, espere ao menos um dia para tentar retomar contato, já que quase nunca se pode deliberar com plena razão logo após uma discussão. Afinal, mais importante do que ter razão, é aproveitar o tempo que temos ao lado de quem realmente importa. E lembre -se: por onde quer que vá, deixe sempre carimbos positivos no interior dos corações nos quais esbarrar. Para que, quando seus donos olharem para trás, possam se recordar da sua presença com carinho, e vice – versa.

D’ANGELO, Giullia



0 comentários:

Postar um comentário