quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Blogmas 2017: Comodismo ou querer permanecer?



    Há algumas semanas estava refletindo sobre o querer mudar e os motivos que nos impulsionam para tal. Então, recordei-me de palavras que quase sempre escutamos ou escutaremos quando tentamos sair da situação na qual estamos e começamos a caminhar em direção a transformação.

    “Mas você já está bem assim”

    “Tem tanta gente pior que você, deveria estar agradecido”

    “Está exagerando”

    “Eu acho que não precisa”

    Só que muitos não percebem que o fato de eu querer crescer e evoluir não necessariamente faz de mim alguém ingrato, mas alguém que acredita em seu potencial e capacidade de alcançar novos patamares. Eu vejo que se a mudança não fará mal a sua saúde física, psicológica, emocional, espiritual e financeira, não há porque não arriscar. Claro que, se você se sente confortável em se manter onde está, também não há problema algum.
    Vou lhes dar um pequeno exemplo: Em uma sala de aula há vários tipos de alunos. Os que estão abaixo da média, os que estão na média e aqueles que se encontram acima da média. Há alguns anos, eu fui uma aluna que só tirava notas entre 8, 9 e Dez, o que me deixava extremamente feliz. Atualmente, eu sou uma estudante mediana e muitos dizem que eu deveria me contentar com isso, por existirem pessoas com notas piores que as minhas. Todavia, isto não deveria ser um motivo para eu estagnar e nem ao menos tentar melhorar, certo? Eu tenho consciência da situação de meus colegas, e sinto muito pelos que ainda não conseguiram obter bons resultados, mas eu não quero parar até atingir o máximo de meu potencial. Já fui uma aluna acima da média, e mesmo que nunca o tivesse sido, acredito que posso melhorar constantemente, por isso mesmo que a minha situação esteja confortável, eu prefiro continuar me esforçando, buscando sempre mais. Não há problema em querer alcançar mais, assim como não há em querer ficar onde você se sente em um ambiente bom e agradável.
    Há pessoas e pessoas, bem como situações e situações. Tem pessoas que mudam de curso ou de instituição de ensino; Algumas querem perder/ganhar peso ou massa muscular; Existem as que querem trocar um emprego estável pela oportunidade de atuar em outra área; Há as que pensam em cortar, raspar, alisar, cachear, clarear, escurecer, fazer tranças ou colocar extensões no cabelo; Seja para fazer tatuagens, colocar piercings, adotar um bichinho, começar um trabalho voluntário, fazer intercâmbio, trocar de cidade, escrever um livro, publicar um artigo, pagar por aulas de dança, procurar um hobby ou simplesmente não fazer absolutamente nada, não se deixe desanimar pelos comentários alheios.
    Sempre existirão pessoas que não entenderão ou concordarão completamente com tudo o você acredita. Entretanto, a única opinião que deveria realmente importar, é a sua. Não podemos agradar a todos, mas devemos sempre tentar fazer nossos períodos de vida aqui na Terra, ao menos um pouco mais agradáveis. Eu não estou em posição de criticar nenhum dos lados, pois não se trata de certos ou errados, mas de uma eterna divergência de opiniões.
    Nem todos me deram força quando entrei em transição capilar, troquei de curso na UFMS, quando entrei para a Igreja Católica ou quando troquei esta pela Batista. Muitas destas pessoas não queriam apenas “dar pitacos”, mas temiam o meu arrependimento. E todos aprendemos que apenas tentando que se descobre e aprende algo novo, pois é melhor tentar e ter o risco de se arrepender, do que refletir por anos sobre como teria sido.
    Seja para permanecer ou para correr para longe, escolha o que você quer fazer, e não o que as pessoas julgam ser mais fácil. E de qualquer forma, peço que tenha bravura, pois é preciso coragem, seja para fincar o pés e criar raízes, ou se deixar levar melo movimento das ondas.

DEXTER, Tiana

 

4 comentários:

  1. Acredito que não importa qual das duas opções sejam as escolhidas, essa escolha tem que ser apenas nossas. Temos que fazer aquilo que nos faça nos sentirmos melhor.

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. O importante não é agradar aos outros, mas a si mesmo.
      Obrigada por ter lido e por ter comentado <3

      Excluir
  2. um tiro atrás do outro huahuahua
    to muito feliz que você tenha essas opiniões, mostra que não vai se deixar abalar tão facilmente pelo que os outros dirão!

    Com amor, ♥ Bruna Morgan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, que bom te ver por aqui.
      Por muito tempo eu deixei que as pessoas decidissem por mim, só que eu acabava arcando sozinha com as consequências disso. Agora eu tento me manter firme as minhas decisões, porque minha felicidade depende delas.
      Obrigada por ter lido e por ter comentado <3

      Excluir