sábado, 9 de setembro de 2017

Quem sou eu e o que eu sinto por mim?



“Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Disso tenho plena certeza.” - Salmos 139:14

Eu queria muito poder dizer que eu sempre fui confiante e sempre me senti bem comigo mesma, só que nem sempre foi assim. Quando eu era pequena, eu me achava bonita e especial, só que a medida em que eu fui crescendo, eu comecei a ser afetada pela opinião das outras pessoas. Antes, eu vestia a roupa que eu queria, eu me arrumava do jeito que eu achasse melhor. Só que durante a minha adolescência eu passei a fazer coisas das quais eu não me orgulho para atingir o grau de “perfeição” que as pessoas impõem. Eu queria ser bonita, eu queria ser legal, eu queria ser aceita. O meu cabelo não servia, o meu corpo não servia, a minha altura não servia. Se eu quisesse ser bonita como as outras garotas eu precisaria mudar. E foi aí que eu comecei a alisar meu o cabelo, a tentar engordar ou emagrecer, a vestir roupas diferentes. As roupas que eu gostava começaram a ficar guardadas, e eu comecei a usar as roupas que todo mundo usava. Parece que por mais que eu tentasse, eu nunca seria o suficiente.
Quando eu tinha 10 anos, eu fui atropelada por um carro enquanto voltava da escola. Quebrei a perna direita e meu maxilar foi fraturado. Quatro meses com pinos e um mês com gesso na perna. Mesmo com a reconstrução do meu maxilar e com o uso de aparelhos, o meu sorriso só será o mesmo se eu passar por outra cirurgia. Para você ter uma ideia, o acidente ocorreu em 2009, e eu só voltei a tirar fotos sorrindo em 2016.  Por conta do tempo que eu não pude andar, quanto mais me exercitar, eu comecei a ganhar estrias pelo corpo. O que começou em um lugar, hoje em dia já está quase no corpo inteiro. E eu percebo hoje, que a minha busca para ser como as outras meninas, era porque na verdade por que eu não me sentia bonita, não me enxergava como uma garota bonita, simplesmente por não ser como elas. No fundo, eu não queria que as pessoas me achassem bela, eu apenas queria olhar no espelho e me aceitar, da forma que eu sou.
É complicado pensar nisso agora porque o meu pensamento e minha mentalidade são completamente diferentes. Eu uso meu próprio cabelo, visto as minhas próprias roupas, busco me comportar de forma a agradar ao Pai e tento não me deixar levar pela maioria. Eu não sei explicar, mas eu acho que eu posso dizer que eu era uma garota carente. Em casa nunca me faltou nada, mas eu sentia que faltava um pedaço do meu coração todos os dias. Então eu passei a minha adolescência buscando o amor que eu achava que eu precisava encontrar. Pulando de uma paixão para outra, de um falso amor para outro. Eu achava que eu só seria feliz se, assim como a minhas amigas, eu tivesse um namorado, fosse bajulada, mimada e presenteada todos os meses. E durante muito tempo, eu acreditei que isso fosse verdade.
Eu passei anos, sofrendo por conta da depressão. Eu não sei ao certo dizer o porquê, mas eu acredito que foram pequenos e grandes acontecimentos que juntos acabaram virando uma bola de neve. Eu me isolava, me afastava das pessoas, e evitava falar sobre o assunto, por mais óbvia que fosse a situação. Eu fingia que poderia passar por isso sozinha, e quando vi, fiquei o mais distante possível de Deus.
Eu me encontrei na mesma situação na qual estive outras 500 vezes. Metade de mim esperando todo mundo dormir para poder chorar e desabafar com o Pai sobre tudo o que me afligia, e a outra metade se sentindo culpada por não conseguir me alegrar. Meu olhar perdeu o brilho, minha aparência ficou desleixada, e meu quarto estava quase tão bagunçado quanto meu interior. Para mim, não fazia sentido algum continuar vivendo. Sabe quando parece que a vida de todo mundo seria 10 vezes melhor sem a sua existência? É horrível.
Eu ficava repetindo as mesmas ações todos os dias. Não saia, não me relacionava corretamente, não me divertia, não me abria e assim eu ia sobrevivendo. Quando eu estava parada, eu começava a refletir sobre o quanto eu achava que estava machucando e decepcionando as pessoas ao meu redor.
No dia 21 de maio, eu fui a igreja com o intuito de me despedir. Eu queria um último momento com todos. Só que algo na pregação, no ambiente, na atitude das pessoas me fez voltar atrás. E eu cai em mim. Só que eu me dei conta, de que estava presa em um looping infinito. É como se a minha vida fosse uma enorme roda gigante. Eu estou por baixo, algo acontece, eu fico por cima novamente, mas em algum momento, eu voltarei ao mesmo lugar. É um ciclo: Estar bem, ficar mal, querer morrer, levar um “tapa na cara”, me reaproximar de Deus, estar bem, ficar mal, etc.
Sabe o porquê em quase nove meses de caminhada isso continuava acontecendo? Eu aprendi que recebemos informação constantemente. A Bíblia, por exemplo, é pura informação. Você pode ler e reler ela, e nada vai mudar. A não ser que você transforme a informação em conhecimento. No processo de aprendizagem, você transforma a informação em conhecimento e a transmite a alguém. Seja a você mesmo, ou outro alguém.
O fato é que, receber conhecimento gera transformação. Positiva ou negativa. E é aí que morava o problema. Eu recebia a informação, na célula, na EBD, na igreja, nos meus devocionais diários, em vídeos, músicas, congressos, retiros, etc., mas eu não transformava isso em conhecimento. Eu não aprendia realmente, eu decorava. É mais ou menos o que muitos fazem na escola. Se você aprende, você leva isso para a vida toda. Se você decora, esquece em pouco tempo. E é por isso que eu não mudei completamente. Eu não aprendi o princípio: me amar verdadeiramente, amar e respeitar o próximo, e principalmente, amar a Deus sobre todas as coisas. E como se transforma a Bíblia em conhecimento? É simples, você só vai compreender e guardar verdadeiramente os ensinamentos bíblicos, se você buscar ter um verdadeiro relacionamento com o Pai.
Não aprendendo isso, não entendia o motivo Dele ter me escolhido, não conseguia me abrir com Ele, nem me livrar da minha carência afetiva, não conseguia deixar de me ferir ou ferir aos outros, muito menos perdoar a mim mesma. E não conseguia entregar minha vida a Ele. O Pai não podia me curar verdadeiramente, e assim eu sempre acabava voltando ao mesmo ponto. Então eu decidi sair da roda gigante. Eu compreendi que essa perseguição dentro, fora de casa e dentro de mim mesma não iria parar. Eu precisava pedir forças a Deus para suportar, crer que Ele é capaz de me ajudar, mas que isso só vai acontecer se eu fizer a minha parte. Eu precisava lutar contra esses sentimentos, contra esses desejos. Precisava buscar ajuda profissional, e me comprometer a continuar progredindo. Precisava evitar comportamentos nocivos, como me isolar, parar de comer, não dormir ou ser sedentária. Só assim eu conseguiria me curar de verdade. Houveram dias nos quais eu tive muita dificuldade para fazer coisas simples, como tomar banho ou escovar os dentes. Mas então eu percebi que se eu esperasse a vontade de fazer as coisas surgir, eu nunca faria nada, então eu acabava me forçando a fazer essas coisas.
Agora com 19 anos, eu percebo que eu não precisava de um relacionamento amoroso ou de seguidores. Nada disso seria capaz de me fazer feliz, mas sim o encontro com Aquele que me esperou desde que eu nasci. O único capaz de trazer a paz no meu coração. Meu Senhor, meu amor, meu Pai. Eu admito que no começo da minha caminhada, as coisas não funcionavam dessa forma. Eu não me sentia tão em paz quanto eu me sinto atualmente, eu não me sentia tão plena quanto hoje. A partir do momento o qual eu compreendi o amor que Ele sente por mim o meu coração se acalmou. Eu estava tão acostumada às voltas e mais voltas no looping infinito, que quando eu finalmente saí dele, entrei em choque. Estive tão acostumada a reclamar por viver em meio ao barulho, que quando fui posta no silêncio, não soube o que fazer. Eu encontrei o meu descanso em Cristo Jesus.
Eu não posso dizer que eu sou atualmente 100% segura e confiante, e que ás vezes eu não sinto vontade de ficar deitada em minha cama, simplesmente ignorando as minhas obrigações, mas eu sei que com o amor do meu Pai, com Jesus ao meu lado e o Espírito Santo a me guiar, eu posso descobrir cada dia mais de quem eu realmente sou e o que eu sou capaz de fazer. O mundo não se resume em buscar ter uma vida “perfeita” como nas histórias dos filmes. Nós não nascemos apenas para sermos “populares” e vivermos buscando alcançar os padrões de beleza impostos pela sociedade. A vida não se resume em de encontrar a sua cara-metade porque você não é um meio, mas um inteiro. Não se trata de correr atrás do amor “perfeito” mas buscar a cada dia mais ser perfeito para o seu Pai que estar no céu.
Eu vejo muita gente por aí dizendo coisas como eu amo “eu amo alguém, mas esta pessoa ainda não me ama”. Porque você ainda sofre por alguém que não te ama se o seu Pai está esse tempo todo esperando por você, mostrando o que você é suficiente? É difícil pensar que nós nos deixamos levar por tudo que vemos por aí, mas nos negamos a aceitar a única e verdadeira verdade: Deus ama você, com Ele você é pleno e completo. Esse vazio, essa dor no seu coração, essa angústia não é um relacionamento ou curtidas que irão suprir, mas a presença e intimidade com Jesus.
Eu aprendi muito durante a minha caminhada, mas eu tenho que dizer que a transformação só pode ser completa e genuína a partir do meu conhecimento e busca pela intimidade com o pai. Sobre a minha autoestima, eu já mudei muito a minha aparência por não gostar de ser quem eu era. Já tive cabelo longo, curto, com relaxamento, alisamento, luzes, ruivo, castanho e agora preto. Já usei diversas armações de óculos, passei por inúmeros estilos de roupa, fui “viciada” em aplicativos de edição para no fim perceber que o problema estava no meu interior, e não no exterior. Mas o que você precisa saber é que eu aprendi a me amar do jeito que eu sou. Com um cabelo indomável, sorriso torto, cicatrizes e estrias. Há alguns anos, houve na Internet uma campanha na qual mulheres com estrias tiravam fotos das mesmas, como forma de orgulho. Em uma dessas fotos estava escrito "Você só pode ser um tigre, se você tiver listras", desde então, na Internet e para os meus amigos mais próximos, eu sou a Tiger. Essa foi uma forma que eu encontrei para ver um lado positivo naquilo que tanto me incomodava.
Se você, como a antiga Gaba, pensa que “precisa” estar em um relacionamento ou ter milhões de “fãs” para ser feliz, eu te peço que pare de procurar estas coisas e foque no Alto. Você não precisa de nada disso, mas de Deus. Com Ele você é completo e maravilhoso, por dentro e por fora. Se não gosta de algo, mude. Se não for possível, aprenda a enxergar isso como parte de você. Apenas não faça disso uma obsessão. Não existe corpo perfeito, mas o corpo perfeito para você. Antes de embarcar em dietas malucas e tratamentos caros, se pergunte qual o motivo de tudo isso. É para o seu bem-estar ou por elogios? Você vai estar glorificando a Deus com essas atitudes? Temos de nos cuidar sim, mas não adianta ter uma boa aparência física e uma vida distante do Senhor.
Mantenha o foco em desenvolver intimidade com o vosso companheiro, que é o Senhor. Apoie sua felicidade Nele, peça para conseguir enxergar no espelho o mesmo que Ele vê em você. Você é filho do Rei, um príncipe ou uma princesa de um reino distante. Estamos no mundo, mas não pertencemos a ele. Não é porque outras pessoas estão se desesperando e se deixando levar por suas carências que nós também devemos. Qual é o real motivo da sua busca por “reconhecimento”?
Quando você para de buscar estas coisas, você passa a se amar, a se cuidar e se enxergar. Relacionamentos são feitos de dois inteiros, não de duas metades. Não busque completar algo que falta em você com a presença de outra pessoa. Pessoas são falhas, humanas e podem te decepcionar. Não busque ser reconhecido pelos homens, mas faça de tudo para realizar a vontade de Deus. Busque ser pleno em Cristo Jesus, pois só Ele pode preencher os teus vazios. Ame-se antes de querer ser amado. Viva sua vida, utilize o tempo e a força que você tem para viver os sonhos que o Pai sonhou para você. Clame pela presença do Espírito, busque sabedoria e maturidade espiritual. Vá estudar, trabalhar, viajar, louvar a Deus, pregar o evangelho. E um dia, uma pessoa que também está fazendo isso vai aparecer, e você vai perceber que tudo valeu a pena, por não ter mudado por ninguém, nem se privado de ser feliz. E vocês serão felizes juntos, como deve ser.
Um dia, uma pessoa legal que busca o mesmo que você, com defeitos, mas que também é completa sozinha vai chegar. Sem aviso, sem pressão, sem impedimentos e se for da vontade de Deus e para a glória Dele, tudo vai funcionar. Você não tem que achar a tua metade da laranja ou a sua tampa da panela. Você não é uma metade, é um inteiro. Não precisa ser completado, mas sim, encontrar o seu complemento. Não existe alguém perfeito para você. Existem escolhas. A partir do conhecimento proveniente da Palavra de Deus, tente fazer escolhas que agradariam o coração do Senhor. Escolha alguém que te aceite, te assuma, te compreenda, te ame, te inspire, te ajude, que ame das suas qualidades aos seus defeitos, e que acima de tudo, te aproxime de Cristo Jesus. Esqueça essa de "Vou morrer só". Se foque em glorificar o Pai, em descobrir o teu chamado e de quais formas você poderá utilizá-los para contribuir para a propagação do nome do Rei. Tudo acontecerá no ritmo certo, porque o Pai está no controle de todas as coisas. Confie e creia na sabedoria Dele.
Você foi criado e é sustentado por Deus. Ele nos fez a Sua imagem e semelhança (Gn 1.26). Todo e qualquer ser humano: é digno de honra e respeito (Ef 4.32); não deve ser assassinado (Gn 9.6); nem deve ser amaldiçoado (Tg 3.9); é dotado de senso de justiça e santidade (Ef 4.24); tem potencial para desenvolver conhecimento (Cl 3.10); precisa se relacionar com outras pessoas (Gn 2.18); é capaz de fazer escolhas (Gn 4.7); é dotado de criatividade (Gn 2.19); é rico em sentimentos e afetividade (Gn 4.20-22). Devemos nos alegrar e sermos eternamente gratos por termos sido feitos à imagem e semelhança do Pai. Fomos criados para a Glória de Deus. Fomos salvos por Jesus para viver para o louvor da Glória de Deus (Ef 1.12), então temos de nos esforçarmos para Lhe sermos agradáveis em tudo o que fazemos (2Co 5.9).
Por mais que as marcas que você adquiriu possam doer às vezes, elas não definem quem você é. Seus erros do passado não te definem, porque Jesus te fez novo. Você é amado e merecedor de amor. Assim como os pássaros foram criados para voar, você foi feito para ser amado. Viver sem ser amado é como cortar as asas de um pássaro. Permita que Cristo feche as suas feridas e cure as suas cicatrizes, para que você possa abandonar essas dores e seguir em frente, renascido em Cristo Jesus. O passado já não existe mais, então aceite e desfrute desta oportunidade de recomeçar, chamada presente.
Se você sofre de algum transtorno ou doença, não se culpe. Você não escolheu sofrer disso, mas escolha hoje enfrentar isto, todos os dias na presença de Deus. Faça Dele a sua força para acordar todos os dias e tentar mais uma vez. O Pai nunca vai desistir de você, Ele sempre vai estar a sua espera, querendo ouvir o som da sua voz. Tanto Ele, como Jesus e o Espírito Santo já sabem tudo o que você dirá antes que você diga, mas Eles precisam ouvir pela sua perspectiva. O Pai sonda e conhece o seu coração, mas Ele precisa que você seja sincero e honesto com Ele. É preciso amor em um relacionamento, e é isso que o Pai, o Filho e o Santo Espírito querem contigo. Há muitas coisas lindas no mundo, mas nada se compara a você, então se permita ser amado da forma que merece. Não entendemos muito de relacionamentos. Mesmo apesar de todos os sentimentos e opiniões ruins que podemos ter em relação ao Pai, Ele continua trabalhando em nós, porque isto é amor. Rasgue o seu coração na presença Dele hoje, e permita ser cuidado por Aquele que tanto se importa contigo.
Se você se sente mal por algo que você fez, acha que fez ou que outras pessoas fizeram, libere perdão. Guardar todas essas mágoas só fará mal a você. Apenas deixe Deus se encarregar de levar isso embora da sua vida e do seu coração, para que você possa colocar neles apenas o que julgar necessário. Carregar o inútil faz pesar nas costas e na consciência. Procura o teu rumo, a tua felicidade em Cristo Jesus e faça poesia do que antes eram cicatrizes. Muitas vezes, as pessoas não conseguem perdoar ou por se acharem muito superiores a pessoa que errou, ou por se enxergarem como tão inferiores, que não conseguem ver problema algum na falha do outro. Hoje você deve perdoar, porque amanhã você poderá ser aquele que necessitará de perdão. O perdão não estabelece um relacionamento, só te faz largar o pescoço do indivíduo que te feriu. Todavia, ninguém se livra dos sentimentos ruins facilmente, talvez tenha que fazer muitas vezes até ficar mais fácil. Mas lembre-se, perdoar é esquecer completamente do que foi feito contra você. Assim como o Pai não fica remoendo os nossos erros, mas sim os apaga por completo, nós devemos buscar fazer o mesmo com as pessoas que falharam conosco. Se você tiver errado, arrependa-se e peça perdão. Tire de suas costas e do coração alheio este peso que vocês não precisam carregar. Assim como disse G. K. Chesterton: “Amar significa amar o que é difícil de ser amado, do contrário não seria virtude alguma; perdoar significa perdoar o imperdoável, do contrário não seria virtude alguma; fé significa crer no inacreditável, do contrário não seria virtude alguma. E esperar significa esperar quando já não há esperança, do contrário não seria virtude alguma. ”

            “Este é o meu consolo no meu sofrimento: A tua promessa dá-me vida. ” - Salmos 119:50

Ás vezes, temos um problema do qual não conseguimos nos livrar, por mais que reclamemos dele aos quatro ventos, e falemos sobre ele em todas as orações. Já parou para pensar que talvez Deus esteja tentando te ajudar, mas você o esteja impedindo? Há determinadas dificuldades as quais nos apegamos sem perceber, e quando nos damos conta, chegamos a sentir orgulho de estarmos sendo derrubadas por elas, ao ponto de pensarmos que as nossas dores são maiores e mais intensas do que as de qualquer outro ser humano. Jesus não disse que enfrentaríamos tribulações eternas, Ele disse que no mundo haveriam aflições, mas que deveríamos ter bom animo. Para de abraçar esse problema, entregue os nas mãos de Deus, de modo a estar com as mãos livres para carregar as ferramentas que Ele te entregou para o exercício do seu chamado.
Ás vezes passamos por momentos muito difíceis, e por conta disso pensamos em desistir. Eu não sei o que você está enfrentando, mas lembre-se de que você não está só. A presença do Pai é constante, cuidando de você a todo instante, mesmo que você não consiga enxergar. Quando tiver dúvidas, olhe para a cruz, se recorde do amor do Pai e de que em momento algum Ele desiste de nós. Creia que as tribulações são passageiras e que há tempo para todo propósito debaixo do céu. Para se manter de pé, mesmo durante as tribulações: ore constantemente (Sl 91.14-16); confie no amor, na misericórdia e na justiça Dele (Sl 40.4); e adore ao Senhor em qualquer circunstância (Sl 34.1).
A Bíblia nos mostra que tudo começa e termina com Deus, Ele é a resposta para nossos anseios e carências. Na verdade, a Bíblia nos mostra que há um propósito estabelecido por Deus para a nossa vida, viver fora deste propósito nos coloca numa rota sem sentido, a vida se torna entediante e isso tem levado muitas pessoas a fazerem loucuras, nada preenche, tudo é passageiro. Não se trata de nós, mas Dele. Sem Deus a vida não faz sentido, por isso busque a Ele e viva para Ele.
Com o fim do mês de agosto, tivemos o retorno a campanha do “Setembro amarelo” que, desde 2014, trata da conscientização acerca da prevenção do suicídio, que tem sido cada vez mais frequente em pessoas com menos de 29 anos, afetando mais de 12 mil pessoas, por ano, no Brasil. Independentemente do que esteja enfrentando, não tenha medo de procurar ajuda. Deus está esperando por você, então dê o primeiro passo em direção aos braços Dele. Ele quer te ajudar, quer ser o seu porto seguro, o seu ombro amigo. Sempre que você precisar, Ele estará lá por você, até a eternidade. Não sinta vergonha em admitir que algo de errado está acontecendo. Não hesite em procurar ajuda caso perceba que há algo fora do normal, e/ou você apresente sinais como: Humor deprimido, que pode envolver sentimentos como tristeza, indiferença e desânimo; O desinteresse em diferentes aspectos da vida, como no âmbito familiar e profissional, além de atividades de lazer; Passar a dormir durante mais ou menos tempo do que o de costume; Perda ou aumento do apetite, seguidos de mudanças significativas de peso; Ter a capacidade de concentração, raciocínio e tomada de decisões prejudicadas; Diminuição de energia, cansaço frequente e fadiga, mesmo quando não foi realizado esforço físico; Apresentação de pensamentos recorrentes sobre morte, ideação suicida ou até tentativas de suicídio.

Não é frescura, não é brincadeira. Procure, vá atrás, peça auxilio. Procure amigos e familiares para conversar sobre o que está acontecendo. Cerque-se de pessoas e pensamentos positivos. Nunca se esqueça de que Jesus te ama, e se importa com você verdadeiramente. Procure a ajuda de um profissional qualificado, como um psicólogo ou psiquiatra, ele irá te mostrar que existem outras soluções para o seu problema, que não o suicídio. Uma boa opção é ligar para o Centro de Valorização da Vida, ligando para o número 141, que se encontra disponível 24 horas por dia, ou procurar o chat da CVV: http://www.cvv.org.br/chat.php . Se achar melhor, leve uma pessoa de confiança para te acompanhar na consulta. Você é digno, especial e amado. Por mais nebulosas e escuras que as coisas possam estar, corra para Jesus e permita que ele seja o farol que iluminará até a mais densa escuridão. Abra o seu coração para deixar entrar o amor que você nasceu para receber.

Neves, G. L. L.

2 comentários:

  1. Gente, que texto lindo!
    Eu não sofro de depressão, mas convivo com muitas pessoas deprimidas, inclusive eu perdi minha irmã mais velha por causa desse mal.
    Parabéns pelo texto e por ajudar a derrubar preconceitos contra a depressão ainda muito mal compreendida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sinto muito pela sua perda. Espero que o Pai conforte e traga paz ao seu coração, e aos de seus familiares. Agradeço por ter lido e me alegro em pensar que estou contribuindo de certa forma para ajudar a quebrar os tabus ainda relacionados a transtornos mentais.

      Excluir